martes, 17 de abril de 2012

Después



Misia de su disco Garra dos sentidos

Dança das mágoas (Poema de Fernando Pessoa)

Como inútil taça cheia
Que ninguém ergue da mesa
Transborda de dor alheia
Meu coração sem tristeza.

Sonhos de mágoa figura
Só para ter que sentir
E assim não tem a amargura
Que se temeu a fingir.

Ficção num palco sem tábuas
Vestida de papel seda
Mima uma dança de mágoas
Para que nada suceda.

1 comentario:

Miquel dijo...

estamos todos al acecho..............